Blue Eyes IV

04 abril 2006












PARTIDA
lisieux

Sei que não sou capaz de te esquecer
e passo as madrugadas a tecer
os frágeis fios das lembranças mortas...

E vago pelos quartos, pelas salas,
a tropeçar nas gigantescas malas
de solidão, que me deixaste às portas...

Por que não carregaste, ao partires,
os meus suspiros fundos, os sentires,
que são o alento do meu coração?

E por que não colocaste sob os braços
os meus temores, vacilantes passos?
Por que tiraste dos meus pés
..................o
..................chão?

BH - 04.04.06

3 Comments:

  • :*

    By Blogger AmigaTeatro, at 4:47 PM  

  • Lis, quanta sensibilidade nesse poema que é quase um lamento..Lindo!
    Meu beijo de carinho e saudade...

    Míriam Monteiro - http://migram.blog.uol.com.br

    By Anonymous Anônimo, at 6:40 PM  

  • Lis querida, que poesia linda!
    Tenha uma excelente semana querida.
    Beijinhos,
    Andréa

    By Anonymous Anônimo, at 8:23 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home